28 setembro 2009

Chamo-me...


Chamo-me... é uma colecção juvenil de biografias de personagens universais.
Em cada volume uma figura da história, das ciências, da arte, da cultura, da literatura ou do pensamento revela-nos de uma forma agradável a sua vida e a sua obra, assim como o ambiente do mundo em que viveu. As belas ilustrações, inspiradas na época, permitem-nos mergulhar no seu tempo e no seu meio.

Títulos na biblioteca recém adquiridos:

...Marie Curie
«Eu e Pierre, o meu marido, passámos horas sem fim a interrogar-nos que elemento químico seria aquele que emitia radiações tão surpreendentes. Demos-lhe o nome de polónio. Depois descobrimos o rádio. Chamámos àquele fenómeno radioactividade. Acreditámos sempre que a radioactividade era uma propriedade interna de um átomo instável, de um átomo que era uma caixa de surpresas... e de energia»
in contracapa

...Charles Darwin
«Na nossa primeira etapa no navio Beagle, no Brasil, colhi centenas de plantas, aves e insectos. Também colhi amostras de minerais e capturei algumas serpentes. Foi-me bastante complicado classificar tantas espécies para mim desconhecidas. Enchi dezenas de caixas com estas amostras e seres capturados para os poder estudar mais tarde".
in contracapa

...Galileu Galilei
«Fui o pioneiro do método científico moderno. Os meus trabalhos fizeram avançar a Física, as Ciências e a Astronomia.
As descobertas que fiz com o telescópio revolucionaram a maneira como se passou a ver o Universo e o lugar do Homem no Universo».
in contracapa

Descobre o teu universo


Observação astronómica

Escola Secundária de Vila Verde

28 de Setembro de 2009

26 setembro 2009

As doenças têm história

As doenças têm história, livro escrito por historiadores e por médicos, começa por relatar o nascimento da medicina, desde as práticas de magia na antiquíssima Babilónia até ao mais avançado bloco operatório da actualidade.

No capítulo "Banhos de mar por receita médica" refere a prática dos banhos de mar no século XIX por indicação médica. "Quais as vantagens dos banhos de mar? [...] Eis a opinião de um professor da Escola de Medicina de Caen, publicada em 1846: [...] recomenda os banhos de mar às «constituições débeis, frágeis ou moles», para as leucorreias rebeldes, os catarros, as tumefacções uterinas crónicas, e os casos de anemia e de atonia dos órgãos. São excelentes também para tratar a hipocondria, a histeria, o delirium tremens, a tosse, a asma nervosa, a languidez clorótica, as diversas cáries e necroses.
O nosso eminente médico pensa ainda que a água do mar pode vencer a esterilidade e ajuda a lutar contra a prisão de ventre.
Em contrapartida, o banho de mar deve ser utilizado com reserva pelos «tísicos pulmonares» e é desaconselhado às pessoas muito nervosas e às que sofrem de palpitações activas ou de afecções do globo ocular. [...]
Como vestir-se para entrar no mar? [...] Os médicos e higienistas preconizam o uso de roupas de lã, o mais amplas possível, para não dificultar os movimentos. No início da moda balnear, os fatos das senhoras «vão até às orelhas» e os calções dos homens «descem até aos tornozelos».
A interdição de se despir na praia provoca o aparecimento das primeiras «barracas». Levadas à mão ou sobre rodas e arrastadas por um cavalo, conduzem os banhistas às primeiras vagas. Um banheiro acompanha as senhoras. Por vezes segura-lhes um braço para as mergulhar na água. [...]
Depois do banho, é indicado um reconstituinte:«Saborear um bolinho e um cálice de vinho de Espanha».

GOFF, Jacques le, apres. - As doenças têm história. Terramar. p. 333-335

http://3.bp.blogspot.com/_6pRYDT1VXrE/Sa5JduX4VeI/AAAAAAAAAEM/WdftzPF1tE0/s400/bathingdressJuly1864.jpg

O universo visto pelo telescópio Hubble

Uma galáxia marada

Afinal de contas o que é uma galáxia?
Galáxia é o nome que se dá a uma grande quantidade de calhaus diferentes voando quase juntos no espaço. As galáxias podem ter formas diferentes: algumas são globulares e outras (tal como a nossa) são belas espirais.

Como fazer um modelo da nossa galáxia à hora de jantar?
  • Necessitas de uma tijela de sopa de rabo de boi e um bocado de creme.
  • Mexe a sopa de rabo de boi de maneira a que comece a rodar em volta da tigela.
  • Enquanto ela ainda está a rodar, deita uma grande gota de creme na sopa.
  • Deves conseguir uma espiral muito semelhante à nossa galáxia.
Há apenas duas diferenças importantes. Uma, é que a nossa galáxia é MUITO maior. A outra, é que não sabe a sopa de boi.

In POSKITT, Kjartan - Uma galáxia marada. Europa-América. p. 6

As árvores e os livros









As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortadas,
e capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas.

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas,
no pecíolo, no limbo, nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Florestas das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras,
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.

Jorge de Sousa Braga (poema)
Cristina Valadas (desenho)
in Herbário. Assírio & Alvim, p. 7-8

Criar cidades sustentáveis

Introdução e resumo
No início do século XXI, a humanidade encontra-se envolvida numa experiência sem precedentes: estamos a transformar-nos numa espécie urbana. As grandes cidades, não as aldeias e vilas, estão a tornar-se o nosso principal habitat. As cidades do século XXI são o espaço em que se jogará o nosso destino, e onde será decidido o futuro da biosfera .... (p. 12)

25 setembro 2009

Einstein

"Albert Einstein revolucionou a Ciência e a nossa visão do Universo ao derrubar as teorias de Newton sobre o espaço e o tempo. [...] O presente livro, onde convergem a Ciência e a vida emocional de Einstein, é um retrato vivido de uma figura rebelde e contraditória, de um pacifista cuja lendária equação E=mc2 abriu os olhos dos cientistas para o terrível poder inerente a cada átomo. O que lhe valeu, mais tarde, o prémio Nobel.

"Para me punir pelo meu desprezo pela autoridade, o destino fez de mim uma autoridade".
Albert Einstein

in contracapa do livro

Galileu


Fonte da imagem: http://www-history.mcs.st-and.ac.uk/PictDisplay/Galileo.html

Comemora-se em 2009 o Ano Internacional da Astronomia. Esta iniciativa assinala, entre outras, a primeira utilização do telescópio para observações astronómicas realizada por Galileu.

O livro que propomos, da autoria do historiador francês Georges Minois, é uma biografia que "coloca Galileu na encruzilhada de diversos domínios: as ciências Física e Matemática, a Filosofia, a teologia e a Exegese, a fim de compreender toda uma formação que levou à consagração do cientista, antes de, em 1633; o seu "caso" vir à luz do dia criando-se o conhecido mal-entendido entre Ciência e Fé.

Galileu tornou-se o símbolo da reivindicação da autonomia da Ciência face á Religião e toda e qualquer Teologia".

"Até então a ciência era feita por eclesiásticos, guiados pelas exigências da sua fé e conscientes que estavam da necessidade de despertar o livro da revelação. Os homens da Igreja autocensuravam-se, como o cónego Copérnico, limitando as suas audácias a prudentes hipóteses, ou então eram colocados no caminho correcto pela santa e maternal Igreja, como aconteceu com o dominicana Giordano Bruno, que foi queimado vivo em 1600 por diversas heresias teológico-astronómicas" (p. 7).

Potências de dez: o mundo às várias escalas

"Este livro leva-o numa viagem através do espaço que hoje conhecemos. Partindo da dimensão humana, de um ponto situado algures na mão de um homem, a viagem leva-o a afastar-se desse ponto através de saltos sucessivos, cada vez para uma distância 10 vezes maior. Ou seja, em cada salto a distância aumenta em uma potência de 10. Sucessivamente, verá a cidade, o país, a Terra, o sistema solar, a nossa galáxia, grupos de galáxias, até aos limites do que já foi possível "ver".
A viagem leva-o também em sentido inverso, para dentro da mão, desvendando a realidade a escalas de comprimento sucessivamente menores: 0,1 metro, 0,01 metro, ... 1 micron.... Encontrará a célula, o ADN, os átomos, o núcleo atómico e os seus constituintes, até à escala mais pequena que nos foi revelada."
In Prefácio, p. 3-4

23 setembro 2009

Inside



INSIDE - Arte e Ciência no século XXI
Lisboa, Cordoaria Nacional

Arte e Ciência é um conceito recente que refere um conjunto de práticas artísticas derivadas ou combinadas com a ciência. Embora seja ainda demasiado amplo e pouco definido este conceito pode desde já destacar-se da usual "ilustração científica". De facto, esta nova forma de arte usa o conhecimento científico como base de processos criativos e artísticos originais.

A exposição INSIDE [arte e ciência] reúne 22 artistas que, de diferentes formas e media, baseiam a sua obra na ciência, desde a biologia, a inteligência artificial ou a robótica.


"Cada visitante recebe uma máscara anti-gripe.
A nova arte contamina.
The new art is a virus..."

Noite dos investigadores 09: Cientistas ao palco

O que é a noite dos investigadores?
Todos os anos, na quarta sexta-feira de Setembro, são organizadas «noites dos investigadores» por toda a Europa. O objectivo é ultrapassar alguns preconceitos sobre a ciência e aproximar um pouco mais o público do mundo da investigação.
Estas comemorações, realizadas no âmbito do Sétimo Programa-Quadro da Comissão Europeia (FP7-People), são financiadas pelo programa Marie Curie e têm uma enorme adesão na União Europeia.

Iniciativas em Portugal - CIENTISTAS AO PALCO.
Este ano, em Lisboa (Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, no Porto (Praça dos Leões), em Coimbra (Museu da Ciência) e em Olhão (Ria Shopping) os cientistas organizam espectáculos stand-up comedy.


Projecto "Duas Culturas"

Resumo do Projecto


Este projecto visa incentivar a leitura de obras literárias e/ou de divulgação que abordem temáticas científicas. Por intermédio de um blogue, propõe-se difundir conteúdos que, não integrando formalmente os programas escolares, estão na base do conhecimento científico. Perspectiva-se a realização de um concurso através da realização de tarefas mensais propostas no blogue com o endereço http://duasculturas.blogspot.com/ que convidamos a consultar. A discussão de um livro numa óptica transdisciplinar constitui o leitmotiv do projecto, assim como o tema central do painel de encerramento. Deseja-se aliar as denominadas cultura científica e humanística, contribuindo para a educação integral de alunos oriundos de contextos culturalmente desfavorecidos.