23 novembro 2009

"A guerra dos mundos"

Num dia 1 de Novembro de 1938, baseando-se no livro de H.G. Wells "A guerra dos mundos", o realizador de cinema Orson Welles forjou, a partir do estúdio da Rádio Mercury Theatre, uma emissão que dava conta da invasão da Terra por extraterrestres. O auditório tinha sido previamente informado de que se tratava de uma simulação, mas o pânico instalou-se na América.
Nos anos oitenta, uma rádio bracarense reeditou esta emissão, tendo o resultado - à escala - sido semelhante: vários ouvintes acreditaram que tínhamos sido invadidos.
Julgo que a forma como ouvimos rádio explica este alarme: ligamo-lo a meio da transmissão, o aviso prévio escapou-nos, podemos - se não formos dados à dúvida metódica - acreditar. Agora que, em 2003, um texto impresso perfeitamente explícito provoque confusão, já me parece bem menos aceitável. Mas foi o que aconteceu em 2003, com um texto que Eduardo Jorge Madureira escreveu no jornal Público.



Entrevista de Orson Welles na sequência da emissão do programa de rádio

5 comentários:

Anónimo disse...

Do meu ponto de vista as pessoas não deveriam tirar conclusôes precipitadas acerca dos assuntos que ouvem quer na rádio, TV, revistas, etc sem terem um conhecimento prévio do que realmente se está a passar e não ficando alarmadas com notícias que são expostas ao público.
Neste enorme mundo em que não somos apenas nós (habitantes do planeta Terra) que fazemos parte dele. Existem vários outros planetas em que poderá ser provável a existência de outros seres vivos diferentes da nossa espécie. Num universo infinito e em que os cientistas não têm total conhecimento do que se passará a existência e o conhecimento de seres que nos são estranhos poderá ser uma realidade futura. Mas o ser humano não deveria ficar demasiado alertado para estes tipos de questões.

Rafaela Alves 11ºD

Anónimo disse...

Estou totalmente de acordo com o que a Ana Rafaela escreveu. Hoje em dia existem muitas formas de comunicação e cada vez mais rápidas, apesar de muitas delas nao conterem informações verídicas. Por exemplo, umas delas é a internet. Quando queremos certas informações para fazer diversos trabalhos o meio que mais utilizamos é a internet.
Com isto concluo que nao devemos tirar conclusões precipítadas.
Defendo a tese da existencia de vida além da nossa algures no Universo. O universo está em expansão, o facto de saber que o sistema solar faz parte de uma galáxia que por sua vez está presente dentro do Universo com muitas mais galáxias aumenta e muito a probabilidade dessa probabilidade. Contudo sabemos que nao passa de um simples palpite.

Paulo Jorge 11ºD

Anónimo disse...

Estou totalmente de acordo com o que a Ana Rafaela escreveu. Hoje em dia existem muitas formas de comunicação e cada vez mais rápidas, apesar de muitas delas não conterem informações verídicas. Por exemplo, umas delas é a internet. Quando queremos certas informações para fazer diversos trabalhos o meio que mais utilizamos é a internet.
Com isto concluo que nao devemos tirar conclusões precipítadas.
Defendo a tese da existencia de vida além da nossa algures no Universo. O universo está em expansão, o facto de saber que o sistema solar faz parte de uma galáxia que por sua vez está presente dentro do Universo com muitas mais galáxias aumenta e muito a probabilidade dessa existencia. Contudo sabemos que nao passa de um simples palpite.

Paulo Jorge 11ºD

Anónimo disse...

A interpretaçao exagerada e para além da realidade de determinadas notícias sempre existiu e para sempre existirá; na minha opinião cada vez mais irá haver uma tendência para o exurbitante, para a fantasia, atendendo a que há cada vez mais e diversoso meios de comunicação, entre os quais se destaca, como escreveu o Paulo, a internet. Isto porque como todos sabemos ainternet apesar de ser o presente e provavelmente o futuro da comunicação, tem milhões de erros (alguns propósitado, outros não) na informação que nos dá. Logo, apesar de às vezes até parecer verdade, temos que tar atentos e tirar as conclusões devidas. Sentem-se, bebam uma limonazinha, pensem e reflitam. "será que esta informação é fiável", e só depois é que existem motivos para pânico ou não.
Nesta situação particular, fala-se da invasão de seres extraterrestres! Para mim, é bem provável que existe vida para além do bonito planeta que nos herdámos; mas nunca se sabe... Será que temos companhia na nossa viagem no infinto ou será que estamos sozinhos na bem clara escuridão que é o Universo? Não sei, provavelmente ninguém saberá. Tavez o Sr.Bastonário da Ordem dos Advogados, o sr.Marinho Pinto saiba, mas como ele nunca adianta nomes, não vou ser eu que me vou pronunciar sobre um dos triliões de casos que nunca muito provavelmente terão resposta. Com isto me despeço. Um resto de bom dia para todos.

João 11ºD

Anónimo disse...

Desculpem o incómodo, mas gostava apenas de referir que o meu comentário tem uns ligeirinhos erros de escrita que se deveram a minha espéctacular capacidade de escrever sem olhar para o visor! Tentarei melhorar. Obrigado pela a atençãozinha.

João 11ºD