06 novembro 2009

Matemática e melancolia - 2

A origem dessa dificuldade de lidar com os outros está em episódios paralelos ocorridos na infância e narrados por Giordiano logo no início do romance.

«[...] Essas duas solidões encontram-se, entendem-se mas não se resolvem, porque Mattia e Alice, mesmo quando encontram um rumo (ele como especialista em topologia geométrica; ela como fotógrafa), nunca deixam de ser a versão humana daquilo a que os matemáticos chamam primos gémeos: «Pares de números primos que estão próximos um do outro, aliás, quase próximos, pois entre eles existe sempre um número par que os impede de se tocarem realmente».

in LER, p. 66
artigo de José Mário Silva


in http://jsuarezdc.files.wordpress.com/2007/01/eratostenes41.jpg


Sem comentários: